POWr Multi Slider

17.4.18

vamos lá falar do final de la casa de papel

Finalmente acabei de ver o final da primeira temporada de La Casa de Papel (não confundir com final da primeira parte pois existe uma confusão em torno do número de temporadas da série espanhola. É apenas uma temporada que a Netflix partiu em duas partes depois de comprar a série). Não vou falar sobre a série para não estragar o prazer de quem ainda não viu. Digo apenas que é uma das melhores séries que vi nos últimos tempos porque está realmente muito bem pensada a todos os níveis.

Durante todos os episódios só apenas num momento é que pensei que a série iria transformar-se numa grande porcaria. Era um mero detalhe que podia fazer toda a diferença, mas que acabou por ser recuperado de imediato. De resto, tudo bom. O início, meio e final. E espero que não caiam na tentação de fazer uma segunda temporada. Porque é o tipo de série que não merece continuidade. Não tem lógica!

Sei que neste momento existirá uma grande tentação de prolongar o sucesso da série. Mas isso também poderá ser um grande tiro nos pés. Porque a perfeição pode dar lugar a algo mau e a imagem que fica é sempre a final. De resto, tenho de eleger Pedro Alonso (Berlin) como o melhor ator na série. Tudo em si é perfeito. Por mais simples que seja a fala ou o momento, é genial no que faz. E quem não viu esta série... não sabe o que anda a perder!

10.4.18

não sou fã de coisas estupidamente caras

Não sou fã de coisas estupidamente caras. E já lá vai o tempo em que dava 120 euros por umas calças de ganga sem pensar que estava a pagar um valor excessivamente absurdo por algo tão simples. Respeito as marcas mais caras, sou fã de muitas que ainda me conseguem fazer ter vontade de comprar alguma peça ocasionalmente, mas cada vez mais gosto de marcas que lutam contra preços excessivos.

Foi assim que me apaixonei pela Hawkers. Principalmente quando soube que tinha partido da ideia de que é absurdo pagar uma fortuna por alguns óculos escuros e que serviria de prova de que é possível ter uns bons óculos, com umas boas lentes por um preço em conta. E foi assim também que passei a gostar da Bratleboro, marca de relógios com o mesmo ideal.

E gosto deste tipo de marcas por diversos motivos que vão além do preço em conta. Também analiso a qualidade e o design. E em ambos os casos gosto daquilo que têm para oferecer. E mal de quem acredita que para ter um visual "fashion" é preciso gastar uma fortuna em roupa e acessórios.